jusbrasil.com.br
2 de Abril de 2020

Assessoria Jurídica Empresarial: custo ou investimento?

Conheça as vantagens e benefícios da assistência jurídica para pequenas, médias e grandes empresas.

Eduardo Sampaio, Advogado
Publicado por Eduardo Sampaio
há 5 meses

Notícias atuais mostram que o número de empresas e microempreendedores tem crescido desenfreadamente nos últimos anos. Neste sentido, tem se observado um grande aumento da competitividade no cenário econômico, que, sem sombra de dúvidas, gerou aos empresários a necessidade de constante atualização.

No entanto, como se não bastassem os inúmeros desafios de mercado, não raramente, esses empresários se deparam com problemas que aparentemente seriam secundários. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Causas trabalhistas resultantes de más práticas administrativas, dívidas fiscais elevadas oriundas da falta de planejamento tributário, altas indenizações a consumidores lesados – o que acaba se tornando um pesadelo, sobretudo, para o pequeno empreendedor, que, em sua maioria, não possui sequer caixa para suportá-los. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Por estes e outros motivos que se faz cada vez mais necessária a utilização de uma Assistência Jurídica Empresarial. Isto porque, através de um profissional especializado, é possível garantir um patamar mínimo de segurança e tranquilidade para desbravar o mercado e tornar o negócio muito mais lucrativo.

Além dissos, a Assistência Jurídica não se esgota na ideia de prevenção. Um advogado que atua de forma orgânica e integrada à dinâmica do negócio, pode garantir a realização de contratos mais seguros e lucrativos, auxiliar na redução de impostos, além de amparar o fortalecimento da empresa com a proteção jurídica de sua marca e seu patrimônio.

Sendo assim, a Assessoria Jurídica Empresarial não se trata de um custo desnecessário, mas um certeiro e promissor investimento, que, dada a altíssima relevância, já vem sendo explorado como um elemento diferencial por pequenos, médios e grandes empresários de sucesso.

13 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Bem vindo, @eduardoaraujosampaio! Ótimo texto :) continuar lendo

Muito obrigado, Juliana! continuar lendo

Não é custo. É investimento meus caros amigos discordantes. Se Investimento for apenas o que se auferir retorno, então, as empresas que investem e Adquirem Equipamentos para melhoria de seus serviços tais quais Computadores para funcionários, Carros para locomoção de supervisores e etc.., não estaria, investindo. Logo, tem-se, que investimento não é apenas algo que substancie retorno financeiro, e sim, compreende tudo aquilo que integre ano aumento da qualidade na prestação de serviços da empresa. Se tem a mesma analogia, Se investe em um setor jurídico, visando não apenas futuras demandas, mas sim o setor preventivo, pois, o papel de um jurídico não é apenas apagar o fogo, e sim de também evitar-se o incêndio. Uma empresa com um bom contábil, um bom jurídico, e uma boa administração se sobressaem sobre as demais. Fica a Dica. continuar lendo

Discordo. O custo com "assessoria jurídica empresarial" é um custo. Tanto isso é verdade que nenhum lucro a empresa tem "investindo" nesse "investimento". Quem tem boa assessoria jurídica está lascado, muito mais lascado está quem não tem esse tipo de assessoria. Esse tipo de custo, é mais um "custo Brasil". República de bananas tem isso: deve-se ter uma equipe de advogados para minimizar algum passo ilegal, e tem vários que pensam que isso é "investimento". É a primeira vez que vejo um investimento sem qualquer retorno direto. continuar lendo

Com o devido respeito, discordo da sua discordância - sei que ficou meio redundante rsrs.

Mas eu acredito que o "investimento" que o autor se refere não tem relação com o que o empresário irá ganhar diretamente, imediatamente, mas sim com o que o empresário pode estar deixando de se incomodar futuramente, o que não deixa de ser um investimento, pois todo "incômodo" a que me refiro geralmente deixa cicatrizes na empresa.

Ainda, algumas empresas podem agir em desacordo com a lei sem ter ciência disso em determinadas situações, o que pode ser evitado com uma boa assessoria.

Além disso, pensando no aspecto da elaboração de contratos, o fato de o advogado estar acompanhando a atividade da empresa com maior frequência fará com que tais contratos sejam mais específicos, seguros, o que nem sempre é possível quando solicitam a elaboração de um contrato e nos apresentam o negócio na hora. continuar lendo

Prezado William Marcio Camphorst. Entendo que investimento é investimento: vc aplica um dinheiro e depois vc pega esse dinheiro com lucro. A contratação de advogados para evitar problemas não é investimento. É cautela. É um tipo de vacina. Vc está confundindo gasto ou custo, com investimento. Em países civilizados, o custo com advogados e contadores, é proporcionalmente, bem menor do que no Brasil, então o "investimento" deles é menor?? Nada disso: o custo empresarial é menor. O custo Brasil é maior. Cada palavra tem o seu significado próprio e não é torcendo a semântica, é que a realidade seria mudada. No entanto, cada um pode achar o que quiser, até mesmo isso. O gasto com um médico de verificar o estado da sua próstata seria um investimento em saúde; o gasto com lazer seria um investimento na saúde mental, comer lagosta seria um investimento na saúde, etc. Se isso te deixa feliz, continue.
Custo é custo. Investimento é investimento. E despesa é despesa. Confundir esses três tipos de desembolsos sob o titulo pomposo "investimento" é risível. continuar lendo

Discordo de ti , prezado! Assessoria jurídica preventiva é essencial para se evitar diversos contratempos e gastos por vezes milionários. Dívidas fiscais e trabalhistas podem falir uma empresa e uma assessoria leva a prevenção a essas dívidas milionárias.
Discordo igualmente de custo Brasil e República de bananas, nos países mais industrializados e com mais força econômica o empresário sabe que contar com a assessoria jurídica preventiva é sinônimo de tranquilidade e mais lucro nos negócios. continuar lendo

Ser empresário no Brasil é uma verdadeira aventura.
A alta carga tributária, desafia o micro ou o grande empresário, a caminhar por um campo minado sem cometer nenhum deslize.
Por tabela, as leis trabalhistas, contribuem ainda mais a classe empresarial, posto que, quando não seguidas à risca, qualquer empregado pode levar à falência, qualquer iniciativa de empreendimento.
Qualquer advogado ou empresa de consultoria que se aventure a prestar assistência jurídica nesse sentido, tem que estar consciente de que precisa estar diariamente atualizada com as leis trabalhistas e tributárias, sob pena de levar o cliente a cometer erros e cair no descrédito. continuar lendo